NOTÍCIAS

Estação Lona na Lua Tanguá é inaugurada

Publicado em Folha da Terra por Lívia Louzada

Como não poderia deixar de acontecer, choveu momentos antes na inauguração da Estação Lona na Lua Tanguá, no último dia 15. O que para muitos poderia significar um grande problema, para o Lona já é uma tradição chover em ocasiões marcantes da história desse projeto social. E ao que tudo indica, os moradores de Tanguá que foram convidados, já entenderam o espírito ‘loneiro’ e compareceram em massa.


A expansão do projeto social Lona na Lua para Tanguá aconteceu através de uma parceria entre alguns agentes, como o empresário e deputado federal José Augusto Nalim, responsável por ceder o terreno, localizado no Centro da cidade, para a construção, a Prefeitura de Tanguá, e ainda um grupo de investidores anônimos que proporcionou que toda estrutura fosse erguida.


De acordo com o secretário de Educação de Tanguá, Luciano Lúcio, alunos da rede municipal de ensino participarão das atividades do Lona. “O projeto Lona na Lua é um divisor de águas para uma população sofrida como é a população de Tanguá. Vamos trazer todas as nossas crianças para cá. Isso aqui é um investimento verdadeiro em educação e cultura”.

Para o prefeito de Tanguá, Rodrigo Medeiros, a intenção é dar oportunidade para a população da cidade através da arte. “A arte pode gerar oportunidades para as pessoas. Essa cidade é muito pobre, essas pessoas precisam se encontrar, todas as pessoas têm seus dons e talentos, é preciso que a gente convide essas pessoas a se descobrirem dentro desse universo, é isso que a gente está tentando fazer, é isso que o Lona vem somar com aquilo que a gente vem fazendo em termos de política pública aqui em Tanguá”, explicou Rodrigo.

Novo ciclo batizado com chuva


“Esse é um novo ciclo. E tinha que chover. Mais um dia de chuva na história do Lona na Lua. Acordei com uma sensação muito parecida com a sensação que eu tive lá trás quando o Luciano Huck ia me entregar a Lona nova, reformada. Estou muito realizado, mas muito ciente da responsabilidade e estou pronto para espalhar 20 Lonas pelo Brasil nos próximos nove anos”, disse o fundador e coordenador do Lona, Zeca Novais, em entrevista à reportagem da Folha.


Um dos momentos marcantes da história do Lona, ao qual Zeca se refere, aconteceu em 2012, quando ele e sua trupe homenageavam a aluna do projeto, Raphaela Dias, no desfile de aniversário de Rio Bonito. Naquele dia, que até então estava ensolarado, a chuva começou exatamente no instante em que o grupo se posicionou em frente ao palanque, onde estavam autoridades do município, ergueu seus braços, e entoou o grito de guerra do Lona na Lua em memória de Raphaela, que havia falecido naquele ano. O fato marcou tanto que foi retratado no livro ‘Lona dos Sonhos: As histórias do Lona na Lua’, do autor Rafael Cal.


Zeca ainda explicou qual a missão que tem com o trabalho que realiza com os jovens. “A gente quer mostrar que ao invés de pegar em armas, esses jovens podem pegar em violinos, podem pegar em pernas de pau, e em violões. Que ao invés de usar drogas, podem ouvir boas músicas. Queremos combater a criminalidade e a ociosidade através da arte que pulsa de verdade, feita por gente muito simples. A mesma metodologia que deu certo e foi aplicada em Rio Bonito, será aplicada em Tanguá e tenho certeza que vai dar muito certo”, disse.


Para participar


As inscrições para participar das oficinas oferecidas pelo Lona na Lua começam no dia 15 de janeiro, e podem participar crianças e adolescentes de 6 a 18 anos. Serão oferecidas aulas de teatro, circo, música, dança, produção áudio visual, e roteiro. Demais informações sobre como se inscrever, serão disponibilizadas nas redes sociais do projeto e da Prefeitura de Tanguá

Arquivo